segunda-feira, 1 de julho de 2013

CONTINUAÇÃO CAPITULO 16..." Ser mãe" E POEMA DO PLABO NERUDA....

Ser mãe

Poema de Plabo Neruda... me identifico muito.

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas
e mau humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram
juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das
pessoas,
Fingirem que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembre de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último
suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem
se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque
seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu
presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que
a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho
e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita
de você,
Não compreender que o que a vida te dá,
também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não
seria igual.
Pablo Neruda

Ser mãe é muito além do que pensamos ou
achamos que seja.
Tudo começa na união de um casal que se ama...
e todo este amor gera intensidade, cumplicidade,
felicidade, carinho, amor e respeito.
E, nessa junção de maravilhosos sentimentos,
nasce uma decisão: um amor único e singular de
frutos. Sendo assim, com passados meses nasceu,
nasce e nascerá belos pequeninos que alegram a
vida de todos e de qualquer ser humano. Outrora
éramos estes pequeninos.
E juntamente com o fôlego de vida de uma
criança, nasce uma mãe... um pai.
Pai e mãe se reduzem a pó, fazem de suas vidas
um canal de bênçãos para seus filhos, e sem medir
esforços, procuram poder dar tudo de bom que há
nesta terra para seus filhos.
Preparam seus filhos com esperança para enfrentar
a sociedade... há nelas um sentimento
único. Essas mães maravilhosas amam seus filhos
a cada dia como se fosse o último e em qualquer
circunstância, dão sua vida por um filho.
Privam-se de viver sua própria vida, para que
nós possamos viver as nossas, independente de
qualquer dificuldade que chegará a acorrer, sempre
pensam em seus filhos para depois pensar em
si mesma. Esteja o filho com um ou 40 anos, sempre
estão de prontidão para ajudar.
Dedico essas singulares palavras há quem
me ajudou a chegar até aqui.
À você, mãe, que me ensinou a viver.
À você, mãe, por me amar tanto assim.
À você, mãe, que renunciou a sua vida para
que eu pudesse viver a minha.
Obrigado por tudo que fez e que fará.
A mulher guerreira: Nair A. Verlindo, minha
mãe.
Meu muito obrigado, minha mãe.
Lesliane Franciele Verlindo Gonçalves.

Se houver alguém interessando no livro.
Favor entrar em contato comigo.
Nos fones:
019-9293-1146 claro
019-8245-5561 tim
ou via email

nana_190177@hotmail.com

OBS( Enviarei o livro já autografado)


Bjosss da NAH VERLINDO